10 alimentos que aumentam sua felicidade.

felizUma verdade universal é que todos os seres humanos buscam dias mais felizes.  A boa notícia é que isso está mais perto de você. É possível aumentar a sua felicidade por meio do consumo de certos alimentos.

A serotonina é uma substância do sistema nervoso que transmite mensagens entre células, responsável pelo sentimento de bem-estar e atua diretamente no humor.
A Universidade de Oxford divulgou dados que apontam o abacaxi e a banana como altamente estimulantes do bom humor. Eles são ricos em determinados aminoácidos que produzem serotonina. As pimentas vermelhas provocam um ardor nas terminações nervosas da boca, que mandam falsos sinais de dores para o cérebro, que por sua vez libera endorfina – substância que além de diminuir a intensidade da dor, provoca sensação de contentamento. Uma castanha-do-pará por dia afasta a tristeza porque é rica em selênio, mineral de propriedades calmantes, também encontrado nos frutos do mar. Enfim, escolha o seu alimento preferido e descubra como comer pode ser gratificante.
A seguir, 10 alimentos que são obrigatórios para um prato e dias mais alegres. Confira:

  1. Banana: a fruta é rica no aminoácido triptofano ( cada 100g da banana contém em média 18mg de triptofano). Acontece que este aminoácido é uma substância precursora da serotonina.
  2. Abacate: esta fruta rica em ácido fólico, vitamina B3 e potássio. Possui, ainda, quantidades úteis de ferro, magnésio e vitaminas C, E e B6. A Vitamina B3 tem ação específica sobre o sistema nervoso central, colaborando com a manutenção de hormônios que regulam as substâncias químicas do cérebro e garante efeito relaxante. Dica: fique atento ao valor calórico da fruta: cada 100 g contém cerca de 200 calorias.
  3. Mel: o alimento é um carboidrato fonte de triptofano, com ação calmante que induz a uma sensação de bem estar melhorando a função da serotonina no cérebro.
  4. Nozes: esta oleaginosa possui Inositol (fosfatidilinositol), substância reconhecida como parte do complexo B, que é necessário para o correto funcionamento dos neurotransmissores serotonina e acetilcolina.
  5. Tofu : é o queijo à base de soja. Importante fonte de magnésio mineral que atua na regulação do metabolismo cerebral e participa da metabolização de alguns aminoácidos.
  6. Ômega 3: os peixes de água fria (salmão, atum, cavalinha…) e a linhaça são considerados excelentes fontes de ômega 3, um ácido graxo com efeito protetor sobre os neurônios. A relação de consumo desse ácido graxo e a felicidade, está no aumento na produção dos receptores de neurotransmissores como: a serotonina, a dopamina e a noradrenalina que protegem o cérebro e o sistema nervoso central dos radicais livres, substâncias responsáveis pelo envelhecimento celular.
  7. Gérmen de trigo: é a parte mais nobre do trigo (que quando é refinado perde esta propriedade) é uma excelente fonte de todo aporte vitamínico do complexo B, atuando como calmante natural que diminui a irritabilidade e o nervosimo. Também carrega o ácido pantotênico, a vitamina B5 ou vitamina anti-estresse que atua na síntese da acetilcolina, conferindo melhor adequação dos impulsos nervosos e das funções cerebrais.
  8. Canela: rica em polifenóis e antioxidantes, esta especiaria melhora a atividade da insulina, ajuda a estabilizar os níveis de açúcar no sangue e reduz a compulsão por carboidratos e doces. Assim, colabora para evitar o sobrepeso e o acúmulo de gorduras na região abdominal e mantém a produção de serotonina em equilíbrio.
  9. Lentilha: é fonte de proteínas vegetais e cálcio, contribuindo significativamente para a regulação da flora intestinal. O equilíbrio do cálcio e magnésio no organismo atua no metabolismo cerebral e na produção de neurotransmissores, como serotonina e dopamina, responsáveis pela sensação de prazer e bem-estar.
  10. Chá verde: afasta os riscos do estresse oxidativo, que é a deficiência de substâncias antioxidantes no organismo, trazendo como consequências doenças como a obesidade e até depressão. O chá verde é rico em polifenóis, nutrientes antioxidantes que atacam os radicais livres das células cerebrais, mantendo a sua atividade neuroprotetora, diminuindo a probabilidade de inflamação cerebral e favorecendo sensação de bem-estar.

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *